terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Resenha Julieta - Anne Fortier.


Sinopse 


Julie Jacobs e sua irmã gêmea, Janice, nasceram em Siena, na Itália, mas desde os 3 anos foram criadas nos Estados Unidos por sua tia-avó Rose, que as adotou depois de seus pais morrerem num acidente de carro. Passados mais de 20 anos, a morte de Rose transforma completamente a vida de Julie. Enquanto sua irmã herda a casa da tia, para ela restam apenas uma carta e uma revelação surpreendente: seu verdadeiro nome é Giulietta Tolomei. A carta diz que sua mãe havia descoberto um tesouro familiar, muito antigo e misterioso. Mesmo acreditando que sua busca será infrutífera, Julie parte para Siena. Seus temores se confirmam ao ver que tudo o que sua mãe deixou foram papéis velhos – um caderno com diversos esboços de uma única escultura, uma antiga edição de Romeu e Julieta e o velho diário de um famoso pintor italiano, Maestro Ambrogio. Mas logo ela descobre que a caça ao tesouro está apenas começando. O diário conta uma história trágica: há mais de 600 anos, dois jovens amantes, Giulietta Tolomei e Romeo Marescotti, morreram vítimas do ódio irreconciliável entre os Tolomei e os Salimbeni. Desde então, uma terrível maldição persegue essas duas famílias. E, levando-se em conta a linhagem e o nome de batismo de Julie, ela provavelmente é a próxima vítima. Tentando quebrar a maldição, ela começa a explorar a cidade e a se relacionar com os sienenses. À medida que se aproxima da verdade, sua vida corre cada vez mais perigo. Instigante, repleto de romance, suspense e reviravoltas, Julieta – livro de estreia de Anne Fortier – nos leva a uma deliciosa viagem a duas Sienas: a de 1340 e a de hoje. É a história de uma lenda de mais de 600 anos que atravessou os séculos e foi imortalizada por Shakespeare. Mas é também a história de uma mulher moderna, que descobre suas origens, sua identidade e um sentimento devastador e completamente novo para ela: o amor.        

        Tenho que admitir que Julieta me surpreendeu, e muito! Eu não esperava muito do livro, mas lá estava eu, de queixo caído, desejando mais do romance imbatível da Anne Fortier.



        Logo ao olhar para a capa, me lembrei de tempos antigos... Uma história rústica, vamos dizer assim, e eu não estava errada. E também não estava errada ao achar que o nome “Julieta” se referia à história de Romeu e Julieta. Acho que não tenha no mundo uma só pessoa que já não tenha ouvido falar de Romeu e Julieta, quando Shakespeare os imortalizou. Um amor impossível entre os jovens do século XVI, mas Anne Fortier foi muito mais além, desenvolvendo uma história completa por trás desse simples –que realmente se tornou simples –romance de Shakespeare, trazendo para a vida de seus personagens muita emoção e aventura.

        Se você já leu algum livro do autor Dan Brown (O Código da Vinci, Anjos e Demônios, Ponto de Impacto e etc...) e realmente amou, não vai ser diferente com a história que Anne desenvolve. O próprio livro foi comparado às obras de Dan Brown, como “um romance para mulheres inteligentes”, e eu não discordo. Indico o livro para pessoas maduras e que gostam de livros de história e romance. Para meninas que curtem Fala sério pai, mãe, cachorro papagaio e periquitos, nem pense em gastar seu dinheiro suado comprando Julieta. Compre logo “Como eu quase namorei Robert Pattinson”, e você ainda sai ganhando. Mas, voltando para as mulheres inteligentes...

        A história começa nos Estados Unidos, no século XXI, e passa para a cidade de Siena, onde os capítulos começam a se intercalar entre 1340 e os tempos atuais. Com uma narrativa impressionante, Julie Jacobs –ou Guilietta Tolomei- corre entre essas fendas do tempo, através do “antigo” tesouro que sua mãe deixou em um banco; uma caixa velha de madeira, onde só continham papeis rabiscados e um antigo livro de Romeu e Julieta. E a aventura começa mesmo quando ela descobre que sua irmã gêmea está atrás dela em Siena, o antigo mordomo de sua tia não era um simples mordomo, e sim o assassino que poderia ter matado seus pais, e tudo parece ainda mais confuso quando um velho pintor lhe fala que existe um Romeu Marescotti vivendo ali, próximo dela, em Siena.


        Uma incrível história. Li cada página imaginado um filme de grande sucesso, o que irá acontecer em breve, com o roteiro de Chad e Dara Creasy, “Juliet” não tem data de estréia, tampouco elenco determinado.

        Sucesso garantido. 



Título: Julieta. 
Autora: Anne Fortier. 
Páginas: 441
Editora: Sextante/Arqueiro. 


Resenha feita por Hellen Pimentel. 

4 comentários:

  1. Essa é uma capa linda, mas acho que se a visse sem ler nada sobre eu não iria quer ler. Mas com a sua resenha me deu curiosidade de saber um pouco mais sobre a história.

    Beijos
    Saindo da Realidade

    ResponderExcluir
  2. Que capa é essa, hein?! *-*
    Faz tempo que estou querendo ler esse livro.
    Já fiquei encantada só de ler a sinopse rs
    Adorei a resenha :)
    Beijinhos
    http://fulanaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Vamos combinar que não é somente a capa que é linda,
    a história também é.
    Eu fui na Americanas para comprar
    um livro que não me recordo não momento
    creio que foi Um Dia e vi este livro
    lá escondido atrás de outro e acabei
    comparando e gostei muito da história.

    Parabéns pela resenha!!

    Beijokas!!

    ResponderExcluir